sábado, 5 de dezembro de 2009



Que fazes para a conquistar?

Infinitas são as horas que nela empregas,
Intermináveis são os caminhos que percorres,
Enormes e dolorosas são as batalhas que travas,
Tanta é a dor e os sacrifícios que sofres,
Vastos são os litros de sangue que consomes,
Ate a própria vida podes estragar ou perder,
Mas por fim a Liberdade terás de conquistar.

Agora que o teu objectivo conseguiste

De imediato são as outras lutas que desistes,
Por errados são agora os caminhos que segues,
Muitas são as responsabilidades que perdes,
Ate pelos que mais de Ti gostam renegas,
Valores fundamentais são agora os que atropelas,
Por tudo que há de bom na vida te afastas,
E por toda uma vida que desaproveitas,
Devias parar e pensar que,
Por cada liberdade conquistada uma vida deverá ser valorizada.

Alfredo Arnóbio



1 comentário:

Joana disse...

Sim senhor temos poeta :P

Bjs Jo